história do marketing Arquivo

0

Marketing – A Era Kotler

Philip KotlerHistória do Marketing: A Era Kotler

Quem foi Philip Kotler? E qual sua importância para o marketing?

Inúmeros novos estudos e publicações, conferências e debates, estabelecendo conceitos, fundamentos e teorias foram desenvolvidos à época, com graus variados de acertos e erros.

Entre estudar, desenvolver, ajustar e lançar produtos envoltos em características que se voltassem para a capacidade de satisfazer necessidades e desejos foram-se cerca de mais uns 20 anos.

Eis então que, na segunda metade dos anos 60, Philip Kotler, nascido em Chicago, em maio de 1931, à época um jovem já brilhante e estudioso, dedicou-se com afinco a reunir, analisar, revisar, desenvolver, ampliar, sistematizar, reordenar e consolidar os fundamentos e princípios do que hoje chamamos marketing.

Com doutorado em Economia pelo Massachusetts Institute of Technology, hoje leciona Marketing Internacional na Kellog Graduate School of Management, da Northwestern University, uma das mais prestigiadas escolas de pós-graduação em Gestão do mundo, onde deu prestígio ao departamento de marketing.

Presta consultoria a IBM, Apple, General Electric, Ford, AT&T, Motorola, Honeywell, Bank of America, Merck, Ciba Geigy, J.P.Morgan, DuPont, Westinghouse, Merrill Lynch, dentre outras.

Com brilhantismo, Kotler conseguiu reunir o melhor do pensamento mercadológico, agregando a ele uma visão objetiva e clara.

Estabeleceu princípios elementares e deu sentido aos fundamentos até então estabelecidos, trazendo demonstração objetiva ao pensamento de marketing. Amarrou definitivamente o produto à satisfação de necessidades, atribuindo a estas a prioridade em relação àquele.

Até Kotler, produzia-se e promovia-se para vender, e as definições do que seria o marketing eram profusas e difusas.

“(o marketing) tem sido descrito por uma ou outra pessoa como uma atividade de negócios; como um grupo de atividades de negócios; como um fenômeno de comércio; como um estado de espírito; como uma função coordenadora, integradora, na definição de políticas; como um senso de propósitos dos negócios; como um processo econômico; como uma estrutura das instituições; como um processo de troca ou transferência da propriedade de produtos; como um processo de concentração, equalização e dispersão; como a criação de tempo, lugar e posse de coisas úteis; como um processo de ajustamento da demanda e da oferta, e muitas outras coisas.”

Marketing Staff of The Ohio State University – A STATEMENT OF MARKETING PHILOSOPHY
(p. 43, Journal of Marketing, janeiro de 1965)

Após Kotler, e até os dias de hoje, produz-se o que o consumidor deseja para satisfazer suas necessidades, e há toda uma cultura de marketing estabelecida, sobre a qual passamos a discorrer aqui.

Vimos que os mecanismos de sobrevivência humana despertam nas pessoas estados definidos de insatisfação quando há a carência e a insatisfação que dela decorre.

Imediatamente desperta-se no homem o desejo de suprir esta carência, e com ele ativam-se os sentidos da iniciativa e da busca.

“O ponto de partida para o estudo do marketing reside nas necessidades e desejos humanos. A humanidade precisa de comida, ar, água, roupa e abrigo para sobreviver Além disso, as pessoas desejam recreação, educação e outros serviços.”

“Marketing é a atividade humana dirigida para a satisfação das necessidades e desejos, através dos processos de troca.”

Philip Kotler – MARKETING (ED. COMPACTA) – 3a. edição. (São Paulo, Atlas, 1985)

Já decorridas décadas desde as primeiras publicações de Kotler até os dias de hoje, e vistas a magnitude e o avanço imensuráveis que pôde desde então alcançar o pensamento de marketing, decididamente por ele influenciado, podemos atribuir a este período a designação de Era Kotler.

Seja em mérito pela sua incansável dedicação à pesquisa, ao estudo e ao debate, como pelo reconhecimento devido ao seu empenho pessoal em promover a difusão e o avanço do pensamento de marketing, percorrendo o mundo com suas obras, mas também pessoalmente em palestras, debates, seminários e congressos.

Fonte: Eliahou Kogan

0

A Origem do Marketing

A ciência do marketing, ligada ao controle dos mercados, é mais anti­ga do que aquela que investiga a ciência dos mercados. O conhecimento de marketing por parte dos gerentes teve um papel fundamental no surgi­mento do capitalismo contemporâneo.

Desde a metade do século XIX, a internalização dos mercados nas grandes companhias, a prática repetida da segmentação do mercado ou mesmo a construção social da demanda confirmaram a vitória da “mão visível” dos gerentes sobre a “mão invisível” do mercado. Uma vez que o marketing não é mais do que uma arma comum de forças do negócio, seu e tudo reforça a idéia de uma construção social dos mercados e é visto “‘como uma extensão do poder de oferta sobre a demanda.

origem do marketingA história do marketing está ligada à separação progressiva do conhecimento de marketing, das práticas de mercado. O seu nascimento como um corpo distinto de conhecimento, localizado entre a oferta e a deman­da, mas, também, entre a ciência e a prática, muda toda a perspectiva. O Marketing surge como uma disciplina alternativa da economia de mercado,  favorecendo a circulação do conhecimento, a melhoria dos conceitos e, ainda, da implementação de novas idéias e práticas.

Por outro lado, essas transformações são capazes de renovar não somente a identidade social dos atores do marketing, mas também de modificar a orientação geral das atividades econômicas.

Para o bom entendimento de como a urgência do marketing, como uma disciplina gerencial, contribuiu para o funcionamento dos mercados, é importante observar que, quando se começou a realizar estudos acadêmicos nesta área, a Economia era a única disciplina que lidava com o fenômeno do marketing e os economistas da época criaram um “novo co­nhecimento” ao se comprometerem a seguir, fisicamente, os movimentos _” commodities ao longo dos canais de marketing e elaboraram uma relação de entidades de marketing, procedimentos e práticas.

2

História do Marketing – Marketing de Relacionamento

Marketing de Relacionamento DataBase e Endomarketing

A partir dos anos 50 nasce o marketing propriamente dito. Na Europa só foi aceito após a segunda Guerra mundial.

O Marketing tem suas origens no fato de que o homem é uma criatura com necessidades e desejos.Estas criam um estado de desconfortos nas pessoas, que se resolve através da aquisição de objetivos que satisfaçam a essas necessidades e desejos.

“O Marketing engloba todas aquelas atividades que representam o trabalho através de mercados, isto é, a tentativa de realizar trocas em  potencial”. (Philip Kotler 1996,pg 46)

No inicio era o consumidor. Produzindo,colhendo e caçando para o seu próprio uso, Depois veio o comércio, trocando sobras entre consumidores.A essa ação, séculos depois, deu-se o nome de “Marketing”.

Portanto, consideramos que o marketing teve seu inicio desde que homem sentiu a necessidade de trocar aquilo que não possuía ou o que não conseguia produzir, desde a antiguidade.

história do marketingO Marketing no Brasil teve seu inicio no final da década de 60, a palavra Marketing circula no Brasil com quase a mesma freqüência e intensidade que expressões como democracia.O Marketing no Brasil demorou a ser conhecido  ao ano de 1986, Marketing era visto como uma espécie de rito secreto.

Hoje, felizmente, o Marketing não é mais considerado um tabu no Brasil, entretanto, em termos conceituais o Marketing ainda é pouco abordado na prática empresarial.

Percebemos, então, que a iniciação do Marketing no Brasil se deu com grandes dificuldades, a começar pelo próprio nome que não sabia ao certo seu significado e depois os preconceitos comparando o Marketing  com rito secreto.

O Marketing era visto como uma função distinta e singular da atividade comercial,porém, em 1960 passa a se desenvolver a partir das necessidades dos clientes e ainda limitado ás ações de mercado. Entretanto na década de 70 o marketing além de focar o cliente, cuida de assuntos sociais mais amplos;visa não somente satisfazer as necessidades dos clientes, mas proporcionar satisfação maior do que oferecida pelos concorrentes.

Na década de 80 o marketing trata de trocas que satisfazem tanto o consumidor quanto fornecedor, sendo considerado uma disciplina basicamente manipulador.

O Marketing evolui atingindo presentemente já a sexta geração;da primeira a terceira geração que denominamos de primeira idade, são enfatizados aspectos internos da empresa, e da quarta geração em diante a segunda idade, o marketing está centrado na ótica do cliente.

A terceira geração tem a percepção interna na organização de que marketing é uma função da empresa e que passa a ser compartilhada por todos os demais administradores e funcionários.

A quarta geração passa a se ocupar de sentimentos dos consumidores e dos diferentes públicos, tanto internos como externamente, focando o seu posicionamento na mente do cliente.a empresa passa de desenvolver-se e a  envolver-se  com que disse Peter Drucker.”A empresa é o que os seus clientes pensam dela”.

A quinta geração caracteriza-se pelo enfoque do Max marketing, em que prevalece o Marketing de eficácia quase absoluto,um marketing sem desperdícios.

A sexta geração é o chamado no conceito empresarial, para o novo enquadramento do cliente. É o marketing direto de pessoa-a-pessoa,é o marketing em que foca o cliente com o centro da razão.A sétima geração se destaca o uso intensivo da tecnologia da informação.

Com a evolução do marketing apareceram novas tendências, e com a diminuição do número de intermediários entre produtor e consumidor; a industrialização estimulou a diversificação nas atividades de marketing, os meios de comunicação criaram novos métodos de publicidades e promoção , além disso aumentaram os esforços dos produtores em atender as preferências individualizadas.

Em sentido mais estrito , marketing consiste no conjunto de operações pelas quais uma empresa trata de assegurar a colocação de seus produtos no mercado, o qual abrange todas as facetas dos negócios de uma empresa que possibilitam, facilitam, ou ainda tornam a vida impraticável.O Marketing não cria apenas,desperta necessidade de consumo.As atividades de marketing existem no sentido de estimular desejos para satisfazer necessidades, mas necessidades em si situam-se acima da influência das empresas.

Marketing é fabricar produtos com qualidades que atendam às expectativas geradas no cliente e que o tornem cativo, é acima de tudo respeito ao consumidor, é uma filosofia de trabalho na qual toda empresa esta envolvida.Orientar o pessoal de atendimento a lidar com clientes, organizar serviços pós-vendas,manter um marketing eficiente e finalmente criar serviços que agreguem valor aos produtos e diferencie a empresa dos seus concorrentes.