Os 4Ps do Marketing de Serviços


O marketing em uma empresa pode ser feito de improviso ou planejado. Obviamente, se você não planeja as estratégias de marketing de sua empresa, dificilmente conseguirá mensurar os resultados e a eficácia das mesmas, ficando assim sem saber se está funcionando ou que outras medidas pode tomar para potencializar os efeitos.

Durante muito tempo discutiu-se como traçar uma estratégia de marketing que pudesse facilmente estudar o negócio em questão e buscar soluções. McCarthy, na década de 50, formalizou o Composto de Marketing, um grupo de elementos que deveriam ser focalizados quando estudando uma estratégia de marketing. Esse composto é formado pelos seguintes quatro elementos:

Produto – elemento no qual se deve considerar todos os fatores relacionados ao produto e/ou serviço oferecidos. Deve-se então considerar as características importantes do produto, sua marca, diferencial no mercado e outras informações inerentes ao produto;

Preço – este elemento está relacionado diretamente ao preço do produto, custos de produção ou manutenção e margem de lucro esperada. Como se pode perceber, mudanças em qualquer das informações aqui (por exemplo, redução nos custos de produção) poderá ter sérios impactos nos outros elementos (na qualidade do produto, na margem de lucro esperada, preço do produto, etc.);

Promoção – trata-se dos meios utilizados para aumentar a exposição dos produtos e serviços, bem como para encontrar novos clientes, parceiros e/ou fornecedores. Um grande anúncio em um programa de TV é um meio de promoção, mas um simples email que um cliente envie a outra pessoa elogiando seu serviço também é um meio de promoção, cada qual com um diferente alcance quanto ao tipo de público alvo (e quantidade de pessoas alcançadas) e portanto com diferentes graus de eficácia. Quando se leva, então, em consideração a relação custo x benefício, perceberemos que, para determinados negócios, certos tipos de promoção são melhores que outros;

Ponto de venda – refere-se aos canais por meio dos quais o cliente pode ter algum contato com o seu produto ou tipo de serviço e efetuar a aquisição ou contratação. Geralmente, as pessoas acabam por considerar suas lojas e locais de trabalho como únicos “pontos de venda”, considerando a Internet somente uma “vitrine”, somente um meio de promoção. Isso acaba por limitar e muito o negócio, uma vez que o usuário pode adquirir produtos por meio da web – e se você não o quer fazer, o seu concorrente o fará!