colapso econômico das empresas pontocom pode ser analisado por vários aspectos. Na economia, este se explica pela supervalorização dos ativos das empresas de base tecnológica, muito acima do valor patrimonial, e pelo enorme ganho de capital, gerado pelos ágios astronômicos pagos pelos compradores das ofertas publicas das ações das empresas que estavam-se lançando (start-up).

As expectativas dos investidores é que tais empresas iriam ocupar rapidamente lugares no mercado das empresas tradicionais e

bolha internet

 gerariam receitas para torná-las autossustentáveis, imediatamente, e rentáveis no médio prazo.

Sob o ponto de vista da avaliação de marketing, foi ai que morou o perigo. Para que todas as expectativas se realizassem, seria preciso muito mais do que uma revolução tecnológica; seria preciso uma transformação radical do comportamento dos consumidores.

A presunção, na época, era de que as pessoas iriam deixar de ir as lojas, aos cinemas, ao mundo real e se trancariam nos seus mundos digitais, de onde só sairiam para comer (encomendando pela internet, é claro)

Este mundo novo não ocorreu como previa os gurus da cibernética e a bolha da internet explodiu quando os investidores perceberam que, para mudar o consumo das pessoas, em locais, processos, produtos e serviços diferentes, seria preciso mudar seus hábitos, suas manias suas convicções, sua cultura e seu comportamento, e isto não ocorreria na mesma velocidade da evolução das tecnologias e das comunicações.

O que foi a “bolha” da internet?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *