comércio eletrônicoO significado do termo “comércio eletrônico” foi-se modificando ao longo do tempo. Originalmente, significava a facilidade das transações comerciais feitas eletronicamente, geralmente usando tecnologia como Electronic Data Interchange (EDI), introduzida no final dos anos 70 para enviar documentos comerciais como ordens de compras e faturas.

Mas tarde incluiu as atividades chamadas de web commercecompra de produtos e serviços pela www (world wide web ou rede mundial de computadores) via servidores seguros com cartões e-shopping, e-cards, reembolso postal, boletos e autorizações de pagamento através de cartões de crédito.

Quando a web se tornou mais conhecida (cerca de 1994), especialistas previram que o e-commerce logo se transformaria num grande setor econômico. Entretanto, passaram-se alguns anos para que os protocolos de segurança se tornassem suficientemente desenvolvidos e largamente desdobrados e conquistassem a confiança das pessoas e das empresas.

Mesmo com um grande número de empresas tradicionais tendo desaparecido pelo colapso das empresas pontocom (.com) de 200 e 2001, muitos varejistas tradicionais (chamados de brink-and-mortat , ou tijolo-e-cimento) reconheceram um valioso nicho de marcado e começaram daí a adicionar capacidades do e-commerce aos seus websites.

No auge da euforia da Internet (bolha da internet), a avaliação da empresa Amelia.com, o braço eletrônico do Pão de Açúcar, chegou a rivalizar em valor com a própria organização-mãe. O Pão de Açúcar, atualmente, e outras grandes organizações varejistas (Ponto Frio, Casas Bahia etc.) integraram suas subsidiárias e-commerce através das quais os consumidores pedem suas mercadorias online.

Atualmente, o e-commerce está muito bem estabelecido na América do Norte, na Europa Ocidental e em certos países da Ásia como Coréia e Japão. O e-commerce esta crescendo inexoravelmente nos países industrializados, aumentando a sua participação nos marcados emergentes (incluindo o Brasil).

O Brasil é exemplo mundial no uso da Internet, nas eleições eletrônicas e nas declarações de Imposto de renda.

Críticos do sistema www questionam os ambientes não regulamentados e as dificuldades de aplicar à  Internet os princípios jurídicos tradicionais e a legislação soberana dos países (por exemplo, cassinos virtuais desafiam as autoridades). Na China, gigantes, como Google, tiveram que se render aos acordos com as autoridades  locais.

O comercio eletrônico tem potencial ilimitado, em volume de negócios  e lucratividade, para nações desenvolvidas e em desenvolvimento. Além disso, está vinculado á expansão da base digital das empresas e da expansão do número de computadores no lares e nas escolas.

O que é comércio eletrônico?
Classificado como:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *