redes de marketingO ambiente empresarial contemporâneo tem-se caracterizado pelo surgimento de novas abordagens em estratégias e tecnologias, pela comunicação em tempo real, pela globalização e gestão do conhecimento, mas principalmente pela dominância das redes e da sua adaptação a novos modelos de negócios que geram ecossistemas altamente competitivos e dinâmicos e comparações de rede global.

Não existe duvida de que a leitura tradicional sobre governança, as métricas e avaliações de desempenhos, os processos, as pessoas e a tecnologia combinados, não bastam mais para atender às crescentes demandas dos mercados consumidores e do sistema econômico como um todo.

Em meio a todas estas mudanças, três conceitos emergem, com muita energia, na condição de provocadores de crescimento e alavancadores destas transformações na busca da perenidade das organizações: o empreendedorismo, a inovação e as parcerias. Os novos empreendedores, os trabalhadores do conhecimento, estão sendo inspirados a perseguir o crescimento ótimo, agrupando os recursos – físicos, financeiros e de inteligência, onde eles estiverem disponíveis, quer seja em cooperação, que seja em competição, através das redes de negócios, das redes de conteúdo e nos ambientes de pessoas ou de tecnologia, ou seja, buscando, em toda a cadeia de valores, os ecossistemas internos ou externos, em que se possa ter confiança e reciprocidade.

O marketing no século XXI deverá suplantar algumas dificuldades por conta da complexidade das novas redes. Cada parceiro, associado, licenciado ou franqueado tem sua agenda, estratégia e cultura, portanto promover o interesse comum entre os seus membros é fundamental. As redes são a combinação, de forma evolutiva ou disruptiva, de novos modelos de negócios. São o resultado da integração de novas mentalidades empresariais que compartilham valores e que se beneficiam das sinergias para acelerar as inovações que conduzem a níveis cada vez mais alto de desempenho. É um movimento à frente em transformação inovadora!

É inquestionável o valor gerado pelas redes, e seus efeitos na capacidade de as organizações crescerem exponencialmente e gerarem retornos superiores. E não se trata apenas de economia de escala ou escopo, mas sim de alavancar um ao outro, em termos de conhecimento, habilidade, informações, contatos, clientes, marcas e conceitos que conduzem a situações em que todos podem ser vitoriosos. É um movimento á frente na formação de alianças!

As redes empresariais podem ser internas – as unidades de negócios e os centros de lucro etc. – ou externas independentes – fornecedores, clientes, universidades etc. Ninguém questiona a  importância das redes, os questionamentos estão no por que ou o que fazem as empresas participarem de redes e o que pode ser considerado uma boa gestão de uma rede?  Para tanto, temos que saber como são formadas as redes? Como podemos participar de uma rede? E como podemos formar ou montar uma rede?

O futuro do marketing está nos negócios em rede?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *