franquiasAs franquias de distribuição de produtos/serviços se implementam através de contrato, pelo qual o franqueador, que é detentor de uma propriedade (marca, processo, tecnologia etc.) concede a terceiros, chamados de franqueados, a licença para explora-la. Ajusta-se o modo pelo qual o franqueado deverá instalar e operar seu próprio negócio e desempenhar suas atividades, sob o controle e a orientação do franqueador.

As partes definidas nestes contratos são:

  • Franqueador – aquele que detém os direitos cedidos e possui a expertise, em alguns casos, fornece produtos ou matérias-primas e, em todos os casos, retém a responsabilidade sobre o desenvolvimento da marca;
  • Franqueado – adquire contratualmente os direitos, geralmente restritos a certa área geográfica, assume as responsabilidades operacionais e recebe apoio para o gerenciamento do negócio.

O conceito de franchising pode ser mais amplo do que apenas distribuição, estendendo-se a outras atividades das empresas, como produção (Nike, Coca-Cola, McDonald´s, Sheraton), desenvolvimento e suporte (Motorola, Vivo, Brastemp) e outras (FGV, Yazigi, Lamina).

O sistema de franquias é atrativo para os empresários que podem iniciar atividades a partir das experiências, do prestigio e da rede de negócios estruturada pelos franqueadores e, se possível, permitindo ao franqueado fazer as oportunas adaptações do negocio, exigidas pelas características da sua região.

Iniciar negócios através de franquias evita uma parte que pode ser difícil, que é a de atrair os primeiros usuários, e reduz os riscos do pioneirismo – os problemas operacionais já foram testados, devidamente eliminados e, consequentemente, a taxa de sucesso é maior nas franquias do que nos outros negócios.

Os modelos de franquias podem apresentar formas diversas e adaptáveis a dinâmica de cada negocio. Em todos os casos, a presunção é que o franqueado, por ser empresário e empreendedor, é um parceiro que atua com iniciativa e responsabilidade própria, busca trabalhar melhor e servir melhor ao consumidor do que faria um funcionário, pois seu desempenho econômico depende diretamente do sucesso da operação.

O franqueador, por sua vez, ganha rapidez na expansão, ampliando sua rede em ritmo bem maior do que seria possível (se dependesse apenas de seus recursos e reduz os investimentos de capital, comparado ao exigido para a abertura de filiais de controle direto.

A administração compartilhada precisa ser bem esclarecida: a eficiência na operação e os problemas do dia-a-dia são resolvidos pelos franqueados e os planos estratégicos e a defesa da marca pertencem ao franqueador.

Cabe ao franqueado fornecer informações permanentes ao franqueador sobre as tendências do mercado e o comportamento do consumidor e participar dos investimentos publicitários da marca. Cabe ao franqueador dar apoio gerencial, que pode ser um importante diferencial  para aumentar a probabilidade de sucesso e fornecer treinamento, que é importante para que todos os pontos da rede formada ofereçam serviços de nível de qualidade semelhante.

Como funcionam as franquias?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *