Em seu livro Marketing de Guerrilha, Levinson aponta as diferenças entre o marketing tradicional e o de guerrilha. Levinson (1998) afirma que existem doze táticas importantes que diferencia o Marketing de Guerrilha do tradicional:

  • Investe energia, tempo, imaginação e informação ao invés de dinheiro;Exemplo de marketing de guerrilha
  • É voltada normalmente para pequenas empresas, e não para grandes corporações;
  • Mede os retornos através dos lucros, ao invés de medir através do aumento de vendas;
  • Baseia-se na psicologia, no comportamento humano, e não através da experiência e de julgamentos;
  • Tem o foco na busca por um alto padrão de excelência, e não a ampliação de linhas de produtos e serviços;
  • Busca aumentar cada vez mais o número de transações com o mesmo cliente, ao invés de buscar novos clientes;
  • Trabalha em cooperação com outras empresas, ao invés de vê-las como concorrentes;
  • Combina diversas ferramentas de marketing, ao invés de utilizá-las isoladamente;
  • Analisa quantos relacionamentos a mais a empresa fez, ao invés de quantas vendas;
  • Vê a tecnologia como uma grande ferramenta, fácil de usar, barata e ilimitada, ao invés de achar que é algo extremamente complicado;
  • Utiliza armas de baixo custo ou até gratuitas, ao invés de ferramentas onerosas;
  • Acaba com os paradigmas e medos, ao invés de se apresentar como algo complexo e misterioso.
As diferenças entre Marketing de Guerrilha e o Tradicional
Classificado como:            

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *